Anúncio

Facebook remove 53 contas de empresa ligada a deputado do PT


O Facebook anunciou nesta segunda-feira (28) em comunicado oficial que removeu 11 páginas e 42 perfis diretamente associados a uma empresa brasileira de marketing digital chamada Follow Now, que “estaria recrutando pessoas no Brasil para distribuir conteúdo político que simula ser orgânico para nossa comunidade”.

Em agosto deste ano, a agência digital LaJoy foi acusada de recrutar influenciadores digitais brasileiros no Twitter e teve suas operações ilegais desmascaradas após denúncias de uma das pessoas que colaboraram com o esquema. Ao receber instruções via email, os envolvidos enalteciam políticos como Gleisi Hoffman (PT-PR) e Luiz Marinho (PT-SP), de forma orgânica, como se fossem postagens autênticas.

A partir daí, a empresa de Mark Zuckerberg começou a observar a conexão entre essas postagens no Twittere no Facebook e teria identificado o mesmo comportamento de pagamento por replicação de conteúdo. Ao ser questionada sobre isso, a dona da LaJoy, Joyce Moreira Falete Mota, disse ter sido contratada em junho e julho pela BeConnected, que tem entre seus sócios, Rodrigues Queles Teixeira Cardoso, um dos assessores de Miguel Corrêa Júnior, ex-deputado e candidato petista ao Senado pelo estado de Minas Gerais.


A BeConnected possui cadastro de abertura em julho recente, em Belo Horizonte, onde também estão registradas as empresas Fórmula Tecnologia e Follow Análises Estratégicas. Ambas estão no nome de Miguel Corrêa Júnior e a segunda é que estaria envolvida no caso descoberto pelo Facebook. A Follow estaria utilizando dois apps de influenciadores e militantes, que estariam elogiando candidatos petistas e realizando check-ins em passeatas e eventos do partido.

Segundo a rede social, as páginas e perfis desrespeitam as normas dos Padrões de Comunidade. “Queremos que as pessoas possam confiar nas conexões que elas têm no Facebook e, por isso, nossos Padrões da Comunidade não permitem que contas operem de maneira coordenada para enganar as pessoas sobre a origem de conteúdos ou para permitir outras violações de nossas políticas. Também não permitimos contas falsas.”

Via TecMundo
-publicidade-

Postar um comentário

0 Comentários